PESQUISA

EDUCAÇÃO

GESTÃO DE FAUNA

CLIENTES

PARCEIROS

PROJETOS

TRABALHO VOLUNTÁRIO

ENDEREÇOS

CONTATO

CASES

TARTARUGA-CABEÇUDA (NOVEMBRO/2016)

 

 

 

 

 

 

 

 

Acionada para o resgate de uma tartaruga marinha em Itanhaém em novembro do ano passado, a equipe do Gremar encontrou uma fêmea adulta da espécie Caretta caretta, conhecida popularmente por tartaruga cabeçuda. Foi constatada a presença de um pedaço de petrecho de pesca enroscado na nadadeira anterior esquerda, causando séria lesão. Além disso, parte do artefato havia sido ingerida.

Após radiografias, foi descartada a suspeita de haver ainda um anzol preso ao sistema digestório. Assim, passamos a cuidar da retirada do petrecho. Realizando contenção física, fizemos a passagem de sonda esofágica com óleo mineral e retiramos o objeto de forma manual, por tração.

O procedimento foi bem-sucedido e o animal permanece em nossa base, recebendo todos os cuidados clínicos e de alimentação necessários para retornar ao mar o quanto antes e migrar até a sua área de reprodução, para contribuir com a manutenção da população desta espécie.

 

Encaminhadas ao Centro de Recepção e Triagem de Animais Marinhos (Cetas), em Guarujá (SP), as duas receberam cuidados especiais durante a reabilitação e responderam satisfatoriamente, demonstrando condições clínicas e biológicas de retornar ao ambiente natural.

 

PINGUIS MAGALHÃES (SETEMBRO/2015)

 

 

 

 

 

 

 

 

Em setembro de 2015, 21 pinguins-de-magalhães foram devolvidos ao seu habitat e seguiram jornada rumo à Patagônia. Após alguns meses em reabilitação no Gremar, eles foram soltos a 50 km da costa, em área além do Parque Estadual Marinho Laje de Santos.

 

Todos haviam sido resgatados entre junho e agosto daquele ano, encalhados em praias da Baixada Santista e apresentando grave quadro de desnutrição. Após exames clínicos, tratamento e nutrição adequada, o grupo finalmente pode voltar às águas.

 

GOLFINHO TONINHA

 

 

 

 

 

 

 

 

O case mais emblemático da história do Gremar foi a soltura do golfinho “Pepê”, da espécie toninha (Pontoporia blainvillei). Em abril de 2015 ele retornou ao mar próximo à Ilha de Queimada Grande, entre Itanhaém e Peruíbe, na Estação Ecológica dos Tupiniquins.

 

O animou ficou em reabilitação no Gremar por 82 dias, após ser encontrado ferido em Peruíbe (daí a origem do apelido), vítima de uma captura acidental em rede. Além de sinais de afogamento, apresentava lesões pelo corpo. Nas primeiras semanas, sob cuidados intensivos, ele contou com a equipe do Instituto em prontidão 24h por dia.

Os toninhas não têm histórico de sobrevivência em cativeiro, mas, contrariando os prognósticos, conseguiu se recuperar e alcançar boas condições clínicas para retornar ao mar. Foi o primeiro caso de soltura de um golfinho desta espécie.

 

CONTATOS

(13) 3500-1469 - (13) 3395-7000 - (13)3426-8168 (base de itanhaém)

contato@gremar.org.br

ENDEREÇO

Estrada Guarujá-Bertioga,

Km 13,5 – Guarujá – SP.

PRONTIDÃO 24H

Caso você aviste um animal

encalhado ligue imediatamente para:

 (13)  7807-0948

redes sociais

 

Desenvolvido por MS CONTENT